Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Os gêmeos da raça

Nunca achei dos melhores o modelo adotado em Brasília para o sistema de cotas, sempre fui de opinião que, o mais interessante seria seguir a recomendação da OIT, que aconselha o uso da autodeclaração para os candidatos, entretanto, não podemos deixar de reprovar a insidiosa campanha realizada por alguns órgãos da grande imprensa, principalmente o jornal "O Globo", contra qualquer medida tomada no sentido de ampliar as possibilidades de acesso da população negra a melhores condições de vida. Reconhecemos que, não vivemos o tipo de segregação racial experimentada pelos negros na África do Sul, ou nos Estados Unidos, contudo, todos os indicadores sociais estão aí para mostrar a necessidade de oferecer aos negros brasileiros mais oportunidades. Cabe ao Estado brasileiro então desenvolver ações de curto, médio e longo prazo proporcionadoras deste objetivo. Reconhecemos em empresas como o jornal "O Globo", por conseguinte, a intenção de impedir deliberadamente o avanço do Brasil na solução tanto das desigualdades sociais, quanto étnicas. Associando-se aos interesses de uma classe dominante retrógrada e racista.
Abaixo publicamos a nota da reitoria da UNB a respeito do caso. A matéria toda está no site: www.afropress.com

Veja a Nota Oficial divulgada pelo reitor

Nota Oficial
O Sistema de Cotas para Negros, aprovado na Universidade de Brasília no dia 6 de junho de 2003 e implantado a partir do 2º Vestibular de 2004, completa quatro anos de existência com sucesso. Nesse período, cerca de dois mil alunos negros (pretos e pardos) foram beneficiados por essa política pública que prevê a inserção desses jovens no ensino superior.
O Vestibular e o Sistema de Cotas para Negros são processos consolidados, amadurecidos e seguros. É a sétima vez que a UnB faz essa seleção de candidatos – que inclui as etapas de autodeclaração, análise de fotos, recursos e entrevistas - para concorrer pelo Sistema que reserva 20% das vagas para jovens negros.
O uso de entrevistas e as análises de fotografias já foram adotados por outras instituições de ensino superior no País para inibir o comportamento de quem tem a intenção de burlar o processo e não prejudicar aqueles para quem as cotas se destinam. A UnB rechaça veementemente acusações de setores da imprensa de que esse processo seja parte de “tribunal racial”.
Hoje, no dia 6 de junho de 2007, a UnB divulga o resultado final de mais um processo seletivo com a homologação das inscrições dos candidatos que concorrerão no 2º Vestibular de 2007 pelo Sistema de Cotas para Negros. O episódio que envolve os irmãos gêmeos, em que apenas um deles foi aceito preliminarmente como cotista, não prejudica a credibilidade da seleção, já que o processo de análise estava em andamento e o recurso do candidato faz parte de uma das etapas da seleção. Sempre que a experiência indicar, esta instituição não se furtará a fazer aperfeiçoamentos necessários sobre quaisquer processos, inclusive os de seleção.
O que a Universidade de Brasília não abre mão é de buscar políticas e ações que contribuam para diminuir a exclusão social na região e no País e para a igualdade de todos no gozo dos direitos da cidadania.
Brasília, 6 de junho de 2007
Timothy Mulholland
Reitor
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.