Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Cotas raciais x Estatuto da Igualdade

Recebi este email do Sr. José Roberto F. Militão em, 26/12/07

Prezado Sérgio J Dias:
Li tua ponderações no site da ´Afropress´ e ouso um diálogo respeitoso. Acredito que redução da procura pelas reserva de cotas compulsórias de fato se dá por reduzir a auto-estima de nossos jovens pois traz consigo o ideal do racismo ou seja, o estigma de nossa inferioridade ´racial´, uma vez que a crença em raças humanas exige também a crença na hierarquia das ´raças´ e, nessa hierarquia, a chamada ´raça negra´ é a inferior.
Por ter essa compreensão, antigo militante por Ações Afirmativas e contra o racismo, tenho atuaado contra as leis raciais e a reserva de cotas compulsórias, pois entendo que estamos pegando a elite de nossos talentos jovens, que com pouco mais de cursinho e preparação, ingressariam na Universidade sem a muleta de ao final, serem considerados e rotulados como ´doutores de 2a. classe´.
As cotas raciais, atacam os efeitos do racismo, mas aprofundam as causas que é a crença em raças humanas, assim, vulnerando a nossa luta contra o racismo, que nada mais é que a luta para destruir a crença em raças. MALCON X já nos deixou uma frase antológica, considerando que a estratégia do racismo, foi dividir a humanidade para a opressão e nos retirar a inteira humanidade, ele dizia: "Não lutamos por integração ou por separação. Lutamos para sermos reconhecidos como seres humanos. Lutamos por direitos humanos."
Ora, Sérgio, as cotas fazem o que os racistas sempre desejaram fazer: dividir, segregacionar e nos atribuir o estigma da inferioridade. Tudo numa só tacada. Caso se efetive por imposição legal, será ainda pior, pois será o Estado brasileiro afirmando a seu povo, que os afro-brasileiros, são inferiores e precisam da reserva compulsória. Seria um desastre para as futuras gerações, já que nós, não assistiremos os efeitos colaterais que levam duas, três gerações para produzirem efeitos.
Assim, caro Sérgio, com o devido respeito e por ve-lo preocupado com o futuro de nossos jovens, ofereço a você, cópia anexa de projeto de lei de ´ESTATUTO DA IGUALDADE CIVIL´, sem o acolhimento de raça estatal e sem recurso a cotas de segregação, para a vossa abalizada apreciação e comentários que desejar oferecer.
Fico à inteira disposição e desejo um Ano novo, repleto de realizações, desafios e lutas a serm vencidas.
a) José Roberto F. Militão, Adv.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.