Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Sobre Serra e a intolerância religiosa em Piracicaba

Primeiro, o texto em questão - A lei contra o candomblé em Piracicaba - não foi elaborado por mim, mas pelo companheiro: Maurílio Ferreira da Silva do Movimento Negro Unificado – Campinas/SP/ Presidente do Secretariado de Negros do PSDB Campinas/SP, Membro da Comissão de Religiosos de Matrizes Africanas de Campinas e Região- CRMA. Que ironia, ele é do PSDB! Eu apenas o recebi por email e achei que ele deveria ser discutido por número maior de pessoas. Postei aqui no Pelenegra. E no ultrademocrático Portal do Nassif.

Só para esclarecer, não é que Serra seja o culpado de tudo, mas certamente seu inflamado discurso "moralizador" e hipócrita criou um clima que favorece manifestações preconceituosas de toda espécie. Sem querer, ou querendo se tornou porta-voz de grupos que tem na intolerância de todo o tipo a sua característica mais evidente, o que e extremamente perigoso para a democracia. Reconhecemos que há inúmeros grupos que atuam e já atuavam com tais objetivos. Contudo, uma coisa é ver estes elementos agirem na calada da noite, anônimos. Outra coisa é vê-los encorajados a mostrarem orgulhosos suas ideias, e agirem à luz do dia, de forma nefasta. Foi desta forma que surgiram o fascismo italiano e o nazismo alemão. O preconceito ardia no peito de italianos e alemães, mas quando viram Mussolini e Hitler falarem livremente, sem nenhuma censura e como homens de poder passaram a ter a coragem de agir e realizar o que estava apenas em pensamento. Hitler e Mussolini não obrigaram ninguém a agir daquela forma, no entanto, foram essenciais para que tudo ocorresse.

Quanto a questão do candomblé. Posso dizer que o sacrifício de animais é um elemento central na religião. Poderia mesmo afirmar que sem o sacrifício de animais seria difícil manter a religião. Assim como é em quase todas sa religiões antigas. Entre elas o judaísmo e o islamismo. É claro que vereador do PR (partido da Igreja Universal) não pensou em atingir estas religiões., e nem se pensará em invadir sinagogas e mesquitas em Piracicaba. Ele buscou e busca atingir o candomblé, até em função da grande presença negra na cidade. O que pude constatar hoje ao assistir coincidentemente na TV SENAC o documentário "No Repique do Tambú - O Batuque de Umbigada Paulista" sobre as tradições negras lá constituídas. Aliás, Piracicaba foi uma cidade importantíssima na produção de café na virada do século XIX para o XX, e por conseguinte, no contingente de escravos. Basta ler este artigo para constatar o que estou dizendo: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-01882006000200003&script=sci_arttext. Tal lei traria então de volta para a população negra local a lembrança de tempos que ninguém mais quer rememorar, sobretudo, os afrodescendentes. Tempos em que as religiões de matriz africana eram perseguidas, seus templos invadidos e seus adeptos agredidos.

Em suma, a cultura e as religiões de matriz africana continuam a ser alvos de ações que as impedem de se desenvolver livremente. Em um processo de destituição de sua humanidade, do ser negro, pois se sua natureza imaterial é atingida, os elementos que o norteam enquanto homem também o são. Daí a anomia que toma conta de grande parte da população negra, que se vê despossuída de seus valores básicos e orientadores. Mesmo que ele não pertença a nenhuma comunidade cultural ou religiosa negra, ele se sentirá atingido pelo preconceito e racismo destilados contra a elas. Ainda que inconscientemente.

Por quanto tudo isto esperamos que o bom senso vingue, e que o prefeito vete esta lei absurda e inconstitucional, que fere o princípio constitucional da liberdade religiosa. Para o bem de toda a sociedade brasileira, e do seu aprendizado no sentido do respeito aos direitos humanos.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.