Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Mais uma denúncia de racismo - Idosa denuncia no MP ter sofrido racismo em salão de beleza

Fonte: cadaminuto

Maria Ledice afirma ter sido 'expulsa' do salão; filha dela trabalhava no local e foi demitida em seguida


por Gilca Cinara
 
Uma funcionária da rede dos salões Fios de Cabelos vai ser investigada pelo crime de racismo cometido contra a senhora Maria Ledice Ferreira Ramos, 66 anos, nesta última semana quando ela compareceu a uma das lojas do salão, localizada no Maceió Shopping, no bairro de Mangabeiras, em Maceió.
Em depoimento na sede do Ministério Público, Maria Ledice relatou que foi até o salão dar um recado a sua filha que trabalhava no estabelecimento, mas como ela não estava, resolveu deixar o recado com colega de trabalho, mas foi ofendida e discriminada por outra funcionária identificada como Iza.
Segundo a denunciante, a funcionária, que ela acredita ser a gerente do salão, a tratou com racismo. “Aqui não é o seu lugar, se retire daqui que você está mal vestida”. Ledice detalhou que a funcionária apertou o seu braço e bem próximo ao seu ouvido disse “eu não gosto de negro”.
Logo após o fato, Maria Ledice procurou a Secretaria dos Direitos Humanos do Estado, que a encaminhou ao Ministério Publico, para buscar seus direitos. Para o gerente do grupo Afro Quilombolas, Almaurício de Jesus o que mais fragilizou Maria Ledice foi a sensação de ter provocado a demissão da filha.
“O que mais marcou ela foi à abordagem da mulher sobre os seus trajes, na sua consciência ela começou a se auto-questionar sobre sua postura. Além disso, teve a demissão da filha no mesmo dia sem nenhuma justificativa. Isso marcou muito e a deixou muito fragilizada. Em algumas partes do seu depoimento ela chorou muito”, enfatizou Almaurício.
O promotor de Justiça Flávio Gomes orientou a denunciante a procurar a Defensoria Pública para entrar com ação por danos morais contra a funcionária. “Solicitei a abertura de um inquérito policial para delegada do 2º DP, e a orientei também a procurar o Ministério Público do Trabalho já que sua filha foi demitida sem justa causa”, afirmou o promotor.

A resposta do salão

CadaMinuto entrou em contato com o salão de beleza que, por meio de sua assessoria de comunicação, afirmou que se realmente houve a discriminação, a postura do estabelecimento é que seja investigado, mas informações de testemunhas dão conta de que a denunciante, Maria Ledice, chegou ao local descontrolada e com uma tesoura na mão.
A assessoria negou ainda que a demissão da filha, Marina Ferreira Ramos, ocorreu devido este fato. Inclusive, a própria filha estaria do lado do salão. "Ela mesma confessou que a mãe não estava em seu estado normal e que a filha está do lado do salão para que a denúncia seja retirada".
No final desta tarde, a assessoria deve divulgar uma nota oficial sobre o assunto.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.