Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

quinta-feira, 3 de março de 2011

A Rota de Extermínio da Juventude Negra Brasileira

Fonte: africas
Por: Deise Benedito.

Quem se beneficia com tantas mortes?
Há 30 anos o Movimento Negro Brasileiro, denuncia a morte de jovens negros, na década de 60 durante a ditadura militár acredito que inúmeros jovens negros, foram solenemente mortos e torturados, já sob a égide de inimigo público n.01, a própria cor da pele o identificava como um “subversivo” por estar ainda… vivo após a Abolição….
Nos anos 70, a perseguição continua sob a égide da “Segurança Nacional”. Os cabelos no Black Power, calça boca de sino,roupas coloridas, assim eram conhecidos como os “Xibabeiros, Maconheiros” como “Marginais, portadores de Tóxico”.
A Polícia Militar, não só em SP como em outros estados realizaram a maior operação “pente fino”. A Rota- Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, comemorava as ações no combate a violência, com assassinatos em série, de jovens negros trabalhadores, sem passagem nenhuma pela Polícia. O jornallista Caco Barcelos, denunciou, atráves de seu livro Rota 66 a de forma indistinta de assassinar inocentes em nome da Segurança Pública.
Tais ações muitas vezes eram em conjunto com o Esquadrão da Morte SP, Escuderie Le Coc ES,Mão Branca SP, que deixava um rastro de terror em suas ações em São Paulo, Espirito Santo e Baixada Fluminense, os “presuntos” eram encontrados abandonados em terrenos baldios perfurados de balas. Seus algozes até hoje indentificados.
Durante os anos 80, aliado com a crise economica, alto indice de desemprego, crescimento desordenado das grandes metropóles, a redemocratização, e a reorganização dos movimentos sociais, não impediriam que os grupos de extermínios ganhassem cada vez mais adeptos, hoje o que se chama de “Milicia” no RJ, já tinha efetuava as suas funções junto a comerciantes em SP, atuavam nos finais de semana os famosos “Justiceiros” no famoso “Opala Branco, Maverick e Passat” realizavam a sua atividade de “morte aos ladrões, assaltantes”.
Nos anos 90 se ampliou de forma significativa a venda e distribuição de drogas em todo o terrítorio nacional, e com ela o recrutamento de jovens negros e pobres nas trincheiras do “Crime Organizado” e a ação de grupos de exterminío passam atuar em várias frentes, a polícia oferece a proteção em troco de proprina e participação nos lucros do “narcotrafico” .
Jovens Negros, passam a ter a chance de ascensão social, dentro do Crime Organizado, e em contra pronto as ações humilhantes e ultrajantes seguidas dos abusos de autoridade praticada pela policia, o Hip Hop ganha força no Brasil, Surge a Casa do Hip Hop de Diadema, Posses, Aliança Negra, Conceito de Rua, Sindicato Negro, explode Racionais, e o discurso contra a violência polícial praticada por políciais, a a ação dos grupos de exterminío.
Os ataques frequentes os exterminíos de jovens na Baixada Fluminense no RJ,promove a campanha Nacional difundida pelo CEAP,”Não Matem Nossas Crianças”. Nos anos 90 fomos brindados pela efetiva atuação do Pode Público com o ao Massacre da Candelária, Vigário Geral e o Macrabro Massacre do Carandiru em 1992. Neste epsódio que acompanhei de perto, percorrendo os pavilhões da Casa de Detenção, e os Processos junto a Vara das Execuções Penais de SP,…mais de 70 jovens mortos com tiros na cabeça, só do pavilhão 09, sem ainda terem sido sequem setenciados. Aguardavam o julgamento.
Pós Durban,
Durante a última década, Pos a Conferência de Durban, os números só crescem, juntamente com as denuncias de prisões arbitrárias, abusos de autoridade e a pratica da tortura, praticada por agentes do Estado. A Juventude Negra, passou uma década denunciando, desde o Forum Social Mundial de 2002, atravessou Conferências, com a mesma pauta, articularama-se criaram o Forum Nacional da Juventude Negra, realizam a Campanha Nacional Contra a Juventude Negra, ocupam espaços, sofrem o preconceito a discriminação, buscam a justiça para aqueles que são mais um corpo estendi num canto qualquer deste imenso País, um número nas estastísticas nossa de cada dia.
Viuvas do Extemínío
Por outro lado cresce o número das “Viuvas do Extermínio” jovens, mulheres negras, mães que irão criar seus filhos, assim como foram criadas sem Pai, sem nenhum acompanhamento médico,pscossocial, sem absolutamente nenhuma atenção do poder público. Com a pecha de “Mulher de Bandido”
Pneu Nelas..
Porém pouco se fala mas vem aumentando assustadoramente o número de jovens negras mortas, envolvidadas nos “Justiçamentos” como queima de arquivo, muitas são queimadas vivas, em pneus, nos famosos microondas, ligadas ou próximas ao Tráfico de Drogas. Crimes que se tornam Inquéritos Arquivados por falta de Provas.
Este é um que ocorre desde os 90 porém acomo o número de jovens mulheres negras é menor em proporção aos homens devido ao grau de risco e exposição pouco se dava destaque.
O Narcolirismo
Porém o relacionamento amoroso de Jovens mulheres negras com jovens envolvidos no Narcotráfico sob a “Egide do Narcolirismo”e os “benefícios materiais” de estar se relacionanddo com o”Cara”… na qualidade de namoradas, mulheres, fiéis, ficantes, inúmeras jovens passam a atuar nas ações do “Movimento” de forma “Direita ou Indireta” nao só na “Cobertura”. Muitas ocupam lugares chaves na chefia das “Biqueiras ou Lojinhas” nas “frentes” tanto na “contenção” desempenham funções como a de qualquer “Soldado” no Tráfico nos nos famosos “Bondes”. Onde ganham respeito,admiração e oportunidade de ascenção.
Na Atividade
Participam nas reuniões,opinão quanto a forma que será realizada as invasões, e ampliação de novos espaços que promovam a garantia dos rendosos lucros do a assumem a responsábilidade de Gerentes, negociam, traficam, vendem, compram armas, lubrificam, cuidam dos negócios, cuidam da casa, sustentam a familia, criam os filhos, e ainda fazem o “corre” quando um de seus companheiros são presos.
Na Grade
Também para estas jovens mulheres negras, o triste fardo, que carregam quando são presas, separadas de seus filhos, quando seus companheiros são mortos e exterminados, ou em guerras de ocupações cabe a elas ocuparem o lugares dos companheiros, para a manutenção da ´própria sobrevivência até o momento de não serem exterminadas por grupos rivais. A prisão é a alternativa de sobrevivência.
A Epidemia
A Rota do Extermínio da Juventude Negra é ampla, para muitas que tornan -se usuárias de drogas,morrendo a cada dia, perambulando e se prostituindo em busca da “pedra perdida”, o Crack, a quando não vendendo os filhos, para o consumo próprio.
Plano Nacional de Enfrentamento no Combate Letalidade a Letalidade da Juventude Negra no Brasil
Urge, açaões para a real elaboração de um Plano Nacional de Combate a Letalidade da Juventude Negra no Brasil,assim quando falamos de ” Enfrentamento a Letalidade Contra a Juventude Negra” conhecida como “Exterminio”, temos que ter bem claro qual e quais frentes atacar, quais os Ministérios chaves, qual a participação efetiva do Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, e o Ministério da Saúde.
O Ministério da Defesa têm um papel fundamental, principalmente no que se refere a vigilânia nas fronteiras, na fiscalização da entrada de drogas e armas no terrítorio brasileiro, o desafio quanto a questão do “Desarmamento”. Quanto fatura cada a empresa com o fabrico de armas tão potentes, que chegam aos nossos jovens, para que eles se encarreguem de fazer o serviço imundo que os agentes do estado lhes oferece como altenativa de vida.
O Ministério da Sáude, para além do Combate ao Trafico de Drogas, e necessário uma ampliação do Tratamento aos Dependentes Quimicos,com acompanhamento familiar de qualidade, não como um “Caso de Polícia” mas como uma Política Pública de Estado voltada para Saúde Pública, articulada com o Ministério da Justiça que deve ser implementado e monitorado pela Sociedade Civil, e os Movimentos Sociais e a Juventude Negra.
O Ministério da Justiça, deverá ampliar as suas ações do Pronasci, com recorte de genero,raça/etnia, uma vez que urge a criação do Plano Nacional do Egresso do Sistema Peniténciario, bem como a medidas que promovam a implementação de Programas Interno de Desintoxicação de Dependentes Quimicos que encontrama-se em cumprimento de pena ou aguardando julgamento, com o acompanhamento do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitênciária.
A Secretaria Nacional de Segurança Pública
Através do CONASP, deverá acompanhar as ações através do acompanhamento dos indicadores do número de ações que envolvam o uso de armas por parte de políciais através de um sistema de rastreamento de Projétil, num sistema único de uso de armamento.
Facilitando assim os exames relativos a “causa mortis” e a origem do Projétil.
Os números crescem assustadoramente, e vão continuar crescendo, enquanto nós enquanto ativistas do Movimento Negro, nossa responsábildiade é de acompanhar PNDH3 que propõe ações com o objetivo de diminuir ações violentas contra jovens negros, temos que atuar na elaboração do Plano Nacional de Enfrentamento ao Crack.
Caso contrário continuaremos, a ver os números crescendo, e os jovens Pais iram novamente reimprimiram a mesma trajetória de seus Pais, os mesmos com a Jovens Mulheres Negras, as Viúvas do Extermínio, e lamentávelmente enquanto tiverem vivas dirão… Eu não conheci meu Pai, não sei quem ele é… ele morreu, quando minha mãe tava gravida de mim…
 Fonte: Lista Racial
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.