Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Mais uma denúncia de racismo: Polícia de Caxias vai apurar injúria racial

Por: Redação: Oscar Henrique Cardoso, correspondente de Afropress no Rio Grande do Sul - Fonte: Afropress - 16/4/2011
Caxias do Sul/RS - A Polícia de Caxias do Sul, na Serra gaúcha, deve instaurar inquérito para apurar os crimes de racismo e injúria racial contra Orlando Andreazza,80 anos proprietário da Rede de Supermercados do mesmo nome.

Andreazza é acusado de ter agredido a operadora de caixa Queren Pereira de Souza, 23 anos, com ofensas de caráter racista, na tarde da última quarta-feira (13/04).
Segundo a operadora, o proprietário teria se dirigido a ela, dentro do estabelecimento comercial onde trabalha, com a seguinte pergunta: “Você sabe a semelhança entre um fusca quebrado na esquina e uma negra barriguda?”

Uma funcionária do supermercado, cujo nome não foi divulgado, teria então respondido: “Você não entendeu? Os dois esperam um macaco!”.

Queren abandonou o posto de trabalho e foi até a Delegacia da Mulher, mas foi encaminhada pela delegada Thaís Postiglione, à 2ª Delegacia de Pronto Atendimento por se tratar de crime contra a honra e não envolver violência doméstica ou familiar.

O caso ganhou repercussão não apenas em Caxias, mas em todo o Estado. Para o presidente do Conselho Municipal da Comunidade Negra de Caxias do Sul (Comune), Sérgio Ubirajara da Silva Rosa, este tipo de fato não é isolado e ainda há muito preconceito racial na cidade de Caxias do Sul.

O coordenador da Igualdade Racial de Caxias, Diógenes Antônio de Oliveira Brazil, lamentou o episódio. Para ele as pessoas guardam maldade dentro de si. “Quando ele [Andreazza] externa este tipo de sentimento é porque tem uma antipatia com a comunidade negra. Ela [Queren]vai precisar de um tratamento psicológico por conta do fato, mas vale lembrar que o empresário também irá precisar”, concluiu.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.