Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Coordenadoria da igualdade racial lança publicações, no Centro de Referência de Cultura Negra Xikelela

Um público de mais de 100 pessoas, entre alunos e alunas, militantes do movimento negro e servidores públicos, lotou o auditório do Centro de Referência de Cultura Negra e Igualdade Racial Xikelela, neste último dia 25, em lançamento da Revista Xikelela. Com foco na luta contra o racismo, xenofobia, intolerância e discriminação, a publicação conta com editorias de Saúde, Educação, Cultura e História. Na abertura do evento, a aluna do curso de Comunicação realizado no Centro e que deu origem à revista, Margareth Augusta, declamou a crônica "Maria da Resistência", que foi criada por ela durante as oficinas do curso e publicada nesta primeira edição.
Margareth ainda emocionou os presentes com seu depoimento sobre o papel das oficinas de comunicação e de penteado afro desenvolvidas pelo projeto Xikelela em sua vida. "Diziam que eu estava formando uma quadrilha porque tenho quatro filhos, mas me orgulho disso porque todos estão bem encaminham buscando uma profissão. Me orgulho também de ser negra e hoje tenho certeza deque isso não é defeito, mas é tudo de bom, me aceito como sou", concluiu Margareth.



REVISTA XIKELELA

http://dc376.4shared.com/doc/pLCIjgHw/preview.html

A Revista Xikelela é resultado de um longo trabalho rea-
lizado pela Coordenadoria da Igualdade Racial desde a
criação do Xikelela, o primeiro Centro de Referência de
Guarulhos desti nado a combater o racismo e promover
as culturas negra, indígena, cigana e de outros grupos discrimina-
dos. Foi viabilizada com recursos de convênio com a SEPPIR (Se-
cretaria de Políti cas de Promoção da Igualdade Racial da Presidên-
cia da República), por meio de emenda parlamentar da deputada
federal Janete Rocha Pietá, pioneira das políti cas de igualdade
racial no município de Guarulhos.


A Revista Xikelela apresenta textos produzidos pelos alunos e
alunas das ofi cinas de comunicação do Projeto Xikelela. Em sua
grande maioria tiver am contato pela primeira vez com a discussão
das relações raciais. A revista apresenta também textos elabora-
dos por profi ssionais, estudiosos, militantes do Movimento Negro
e especialistas na temática de promoção da Igualdade Racial e
combate ao racismo. A Revista Xikelela contou também com o
trabalho de jovens profissionais militantes do Movimento Negro.


Junto com o aprendizado das técnicas de comunicação, a ofi-
cina buscou realizar diálogos para a construção de conhecimento
acerca da presença negra e indígena no município de Guarulhos,
resgatar a história da população negra no Brasil assim como des-
construir estereóti pos que permeiam o imaginário popular sobre
negros e indígenas.


A publicação do material produzido pelos alunos da oficina
tem o objetivo de dar visibilidade à produção de conhecimento
daqueles que vivem cotidianamente a discriminação e o racismo.
Escrever a sua própria história, deixando de ser apenas o objeto
da história escrita pelo outro é ocupar um lugar de saber. Acredi-
tamos que o protagonismo juvenil é também fundamental para a
formação de cidadãos e cidadãs mais conscientes e críti cos para
enfrentar todas as formas de manifestação de preconceitos e dis-
criminações.


A Revista Xikelela tem 6 editorias: Novembro Negro, Saúde,
Cultura, Educação, História e Memória, Racismo Xenofobia Into-
lerância e Discriminação Racial. Tomou o seu nome emprestado
do Centro de Referência no qual nasceu. Xikelela é uma palavra
em quimbundo, a língua mais falada em Angola, região de onde
teriam vindo muitos dos primeiros africanos para a região de Gua-
rulhos no século 16, e quer dizer Negro.


Sob a forma de entrevistas, crônicas, reportagens, as matérias
abordam temas como a anemia falciforme, a cultura hip-hop, a
capoeira, a culinária afro-brasileira, o cabelo crespo, a presença
dos povos indígenas em Guarulhos, a história do bairro do Pimen-
tas, o mais povoado de Guarulhos, as religiões de matriz africana,
patrimônio histórico e outros.


Com este número 1, comemoramos o Ano Internacional dos
Afro-descendentes, proclamado pela Organização das Nações
Unidas no décimo aniversário da III Conferência Mundial contra
o Racismo.


Esperamos que você aprecie a leitura e nos diga o que achou!


Edna Roland
Coordenadora da Igualdade Racial
igualdaderacial@guarulhos.sp.gov.br
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.