Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Cotas: de cursos pouco concorridos aos mais cobiçados

Fonte: odia

Hoje, estudantes da reserva de vagas preferem Direito e Medicina

POR MARIA LUISA BARROS
Rio - Mais da metade da primeira geração de estudantes que ingressaram na Uerj pelo sistema de cotas para negros e alunos da rede pública trabalha atualmente em carreiras ligadas à Educação. Os pioneiros optaram por cursos menos concorridos, como Pedagogia e História, e com aulas à noite, para poderem trabalhar. Há oito anos, poucos se atreviam a disputar as graduações mais concorridas e em horário integral como Medicina e Odontologia. Essa situação começa a se inverter: no último vestibular, a preferência dos candidatos cotistas é por Direito e Medicina.
Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
“Quero conciliar a carreira de magistério com a estabilidade de um emprego público”, Levi Batista, historiador e cotista em Direito e servidor da FioCruz | Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia
Levantamento feito pela (Uerj) mostra que entre os cinco cursos mais procurados por eles estão também Engenharia Elétrica, Psicologia e Engenharia Civil. Entre os não-cotistas a preferência é Medicina, Direito e as engenharias Civil, Elétrica e Química, cursos onde ainda há resistência à reserva de vagas.
 
“Os cotistas estão concorrendo às carreiras de maior prestígio, talvez influenciados pelo desempenho dos que já se formaram e pela garantia de que terão o apoio de material didático”, avalia a sub-reitora de Graduação da Uerj, Lená Menezes. 

Mais confiantes

Estudo inédito da Uerj, publicado ontem por O DIA, mostra que de cada 10 ex-cotistas, nove estão no mercado de trabalho. Um deles é o historiador Levi Jefferson Batista, 28 anos, que atualmente cursa o 5º período de Direito na Uerj, de olho nos concursos públicos. Levi deu aulas até ser aprovado no concurso para técnico em Gestão de Saúde, na Fiocruz, que exige diploma universitário: “Antes de fazer História, queria fazer Publicidade mas bateu a insegurança de não passar. Hoje me sinto confiante e capaz”.


Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.