Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Que chance teve a criança indígena?

Uma notícia realmente me abateu hoje. Foi a denúncia da atrocidade feita com uma criança indígena do povo Awá-Guajá, 8 anos. Quando li no site do CIMI que a criança foi "queimada viva", tive a sensação de estar no "umbral".
Uma notícia realmente me abateu hoje. Foi da denúncia da atrocidade feita com uma criança indígena do povo Awá-Guajá, de cerca de oito anos. O seu corpo carbonizado teria sido abandonado pelos Awá isolados, a cerca de 20 km da aldeia Patizal do povo Tenetehara, em Arame (MA). Tudo indica que foi vítima de ataque de homens brancos. O mais estarrecedor é que esse ato de violência deve ter acontecido entre setembro e outubro passado. E está sendo apurado pela Fundação Nacional do Índio (Funai) e pelas autoridades? Afinal, existe uma Coordenação Geral de Índios Isolados e Recém Contatados (CGIIRC).
Quando li no site do Conselho Missionário Indigenista (CIMI), que a criança foi "queimada viva", tive a sensação de estar no "umbral". A ganância pelas terras, pelo comércio ilegal de madeira faz com que alguns seres humanos, se transformem na escória de nosso planeta. Fico apreensiva, quando dizem que descobriram índios isolados, no intuito de protegê-los. Quando o homem branco intervém, em muitos casos, vem a cobiça junto. O país é de dimensão continental, será que há tanta dificuldade de haver espaço para todos? Obviamente que não.
Ao mesmo tempo, sem saber da existência dessas comunidades, às vezes, podem ser dizimadas, sem que saibamos que um dia existiram. É uma linha muito tênue. A Funai estima que existam 28 grupos de índios isolados (povos em situação de isolamento voluntário, povos ocultos, povos não-contatados) no Brasil. Além da CGIIRC, mantém 12 Frentes de Proteção Etnoambiental, localizadas nos estados do MT (2), MA (1), PA (2), AM (3), AC (1), RO (2), e RR (1). Os povos são os seguintes:
- Juruena, Awa-Guajá, Cuminapanema, Vale do Javari, Envira, Guaporé, Madeira, Madeirinha, Purus, Médio Xingu, Uru-Eu-Wau-Wau e Yanomami.
As informações também são encontradas no site Povos Indígenas do Brasil, do Instituto Socioambiental (ISA). Mas as certezas estão longe de se efetivar sobre esse censo.
Uma das descobertas mais recentes ocorreu em janeiro do ano passado, quando foi divulgada a notícia de que a organização não -governamental (ONG) Survival International, de Londres, tinha imagens inéditas de indígenas isolados no Vale do Rio Envira, no Acre, na fronteira do Brasil com o Peru; e os mesmos sofriam pressão de madeireiros (http://www.uncontactedtribes.org/fo...). A descoberta foi confirmada pela Fundação Nacional do Índio (Funai). E a partir daí, o que essas pessoas podem esperar com relação à sua segurança?
Blog Cidadãos do Mundo - jornalista Sucena Shkrada Resk - www.twitter.com/SucenaSResk
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.