Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Inscrições abertas para a Escola de Fotógrafos Populares - Turma 2012

Estão abertas as inscrições para uma nova turma da Escola de Fotógrafos Populares. O curso realizado pelo Programa Imagens do Povo já formou quatro turmas desde sua criação, em 2004, e agora chega a mais uma edição integrando o projeto Rio Geração Consciente, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Solidário da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, associada ao Ministério da Justiça e à Fundação Oswaldo Cruz.
O projeto Rio Geração Consciente oferecerá oficinas para o desenvolvimento de habilidades em linguagens de comunicação (vídeo, fotografia, artes gráficas, design gráfico, web design, reportagem, produção de rádio, redação e edição de textos) e aulas formativas em Direitos Humanos, História da Arte e Ciências Sociais. Os cursos acontecerão em diferentes favelas do Rio de Janeiro e em cada comunidade serão realizadas aulas com enfoque em áreas específicas da comunicação.
•          Cantagalo, Pavão e Pavãozinho / Museu de Favela.  - Arte e Memória
•          Manguinhos / Laboratório de Direitos Humanos - Rede CCAP – Audiovisual
•          Maré / Escola de Fotógrafos Populares – Observatório de Favelas - Fotografia

 Como se inscrever
Os interessados em participar da Escola de Fotógrafos Populares devem entrar em contato com o Programa Imagens do Povo através do email contato@imagensdopovo.org.br. A partir deste contato, enviaremos a ficha de inscrição junto ao edital oficial do projeto Geração Consciente. O prazo para o recebimento das fichas de inscrição vai de 13 de fevereiro a 9 de março. Após este prazo, agendaremos entrevistas com os inscritos, que participarão do processo seletivo para a turma 2012 da Escola de Fotógrafos Populares. Lembramos que a prioridade será dada aos moradores de favelas e espaços populares em geral e as vagas estão destinadas aos jovens a partir dos 16 anos, que tenham o ensino fundamental completo.

Programa Imagens do Povo
Observatório de Favelas do Rio de Janeiro
Rua Teixeira Ribeiro, 535, Parque Maré, Maré, RJ.
Tel.: (21) 3105-4599 / 3104-4557 / 3888-3220

 Saiba mais...
...Sobre a Escola de Fotógrafos Populares
A Escola de Fotógrafos Populares propõe-se a capacitar alunos oriundos de comunidades populares a desenvolver, através da fotografia documental, um olhar crítico sobre seus territórios de origem. Ao longo do curso, cada aluno será estimulado a produzir ensaios fotográficos sobre aspectos pouco veiculados da vida nas favelas, em oposição à visão estigmatizante com que a grande imprensa freqüentemente trata o tema, associando as comunidades populares apenas ao tráfico e à violência.
Busca-se materializar uma fotografia engajada e solidária, capaz de denunciar as dificuldades das populações economicamente excluídas, sem deixar de destacar sua altivez, alegria e beleza. Parte-se, aqui, do pressuposto que a identificação e a busca por uma sociedade plural, fraterna e solidária passa pelo ato de exercitar um olhar cúmplice sobre os que enfrentam dificuldades de toda ordem, imersos em um cotidiano marcado por adversidades, porém, rico em criatividade e ações solidárias. Dessa forma, acreditamos que a troca recíproca de conhecimentos se transforme em terreno fértil para a consolidação da auto-estima de jovens de comunidades populares, potencializando seus talentos e auxiliando-os no processo de autoconhecimento.
Portanto, o programa de aulas oferece, além do ensino básico e aprofundado de técnicas fotográficas e edição de imagens, acesso a discussões temáticas que abrangem desde a questão dos direitos humanos à construção do olhar e do uso da fotografia como forma de percepção e expressão, partindo da análise de trabalhos que fundaram as noções de foto documental e fotojornalismo assim como o estudo de como a ética se impõe sobre a produção fotográfica contemporânea. 

...Sobre o Programa Imagens do Povo
O Programa Imagens do Povo é um centro de documentação, pesquisa, formação e inserção de fotógrafos populares no mercado de trabalho. Criado em 2004, pelo fotógrafo João Roberto Ripper, e realizado pelo Observatório de Favelas, o Programa alia a técnica fotográfica às questões sociais, registrando o cotidiano das favelas através de uma percepção crítica, que leve em conta o respeito aos direitos humanos e à cultura local.
O Imagens do Povo desenvolve ações nas esferas da educação, comunicação e cultura, com objetivo de democratizar o acesso à linguagem fotográfica, apresentando a fotografia como técnica de expressão e visão autoral da sociedade. O foco crítico consiste em formar e promover documentaristas fotográficos, potenciais multiplicadores do saber adquirido, capazes de desenvolver trabalhos autorais de registro de espaços populares, valorizando as histórias e as práticas culturais de suas comunidades, além de estimular o fortalecimento de vínculos identitários a partir do uso da linguagem fotográfica, que se torna instrumento de acesso e mapeamento de diferentes expressões culturais e sociais dos territórios onde residem, ampliando as possibilidades de difusão de novas imagens destes locais.
Os principais projetos do Programa são a Escola de Fotógrafos Populares, a Agência Escola, o Banco de Imagens, as Oficinas de Fotografia Artesanal (pinhole), o Curso de Formação em Educadores da Fotografia e a Galeria 535. Os colaboradores da Agência Escola e do Banco de Imagens são formados pela Escola de Fotógrafos Populares. Atualmente o Programa Imagens do Povo é Ponto de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

...Sobre o Observatório de Favelas
O Observatório de Favelas é uma organização social de pesquisa, consultoria e ação pública dedicada à produção do conhecimento e de proposições políticas sobre as favelas e fenômenos urbanos. O Observatório busca afirmar uma agenda de Direitos à Cidade, fundamentada na ressignificação das favelas, também no âmbito das políticas públicas.
Criado em 2001, o Observatório de Favelas é desde 2003 uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP). O Observatório tem sede na Maré, no Rio de Janeiro, mas sua atuação é nacional. Foi fundado e é composto por  pesquisadores e profissionais oriundos de espaços populares.

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.