Blog comprometido com as mais diversas lutas sociais do planeta, particularmente, o que diz respeito a luta pelo socialismo, a ampliação do uso dos software livre Gnu/Linux na busca pela expansão de nossa inteligência coletiva e da cultura livre, além da batalha pela melhoria das condições de vida da população brasileira, sobretudo, do povo negro.

quinta-feira, 7 de março de 2013

A LighRio, as UPPs e o êxodo dos pobres

Por Sergio J Dias

Moradores do Complexo do Alemão estão desesperados com os valores cobrados pela Light. Após a instalação dos novos medidores de energia elétrica os preços das tarifas dispararam. As tarifas chegam a  R$ 460,00 para uma aposentada, que recebe salário-mínimo e vive só. Segundo a empresa distribuidora, esta e outras ações fazem parte do programa "Comunidade Eficiente", que visa modernizar os serviços prestados pela mesma.
Por outro lado, teme-se que com tantas tarifas à preços exorbitantes, pois há ainda água, telefone, internet e tv à cabo, isto acabe levando à expulsão dos moradores para áreas distantes da cidade. Aliás, este fato já vem ocorrendo, mas poderá se intensificar, caso se verifique a impossibilidade de pagar tantas dívidas.

Os baixos salários e a acumulação primitiva do capital

Durante muito tempo, e ainda hoje, em vários lugares do Brasil, o não pagamento das tarifas públicas por parte das classes populares garantiu e garante um alto grau de acumulação para as empresas, já que isto permitiu e permite a coexistência de baixos salários com a continuidade da reprodução da mão-de-obra.

O Rio de Janeiro e a especulação imobiliária 

No Rio de Janeiro, em função dos eventos recentes e futuros, estamos vendo um aumento brutal do valor do metro quadrado. A especulação imobiliária cresce, sem dar tréguas aos setores populares. Para muitos a "pacificação" se tornou um problema, levando-os mesmo a temer o processo de regularização fundiária, já em curso, pois, turbinou o preço da terra em áreas dominadas pelo Estado. Está ocorrendo uma mudança do perfil dos moradores destas áreas, saem os mais pobres, entram os remediados, e mais tarde quiçá, uma classe média mais endinheirada. Este fato aguça os interesses das grandes construtoras. A região próxima ao porto da cidade se apresenta como a mais promissora, em termos de acumulação e a expulsão das populações pobres é condição essencial.

Excluindo os pobres da cidade

É neste quadro, que se insere o programa "Comunidade Eficiente", da Light. E depois de alguns anos. talvez devamos concordar com o companheiro Spirito Santo, do grupo Vissungo, que lá atrás já me dizia: 
"Sergio não se engane primeiro irão os bandidos, depois os moradores. Ambos se encontrarão em regiões distantes da cidade."
Este parece ser o destino das grandes capitais brasileiras historicamente, sua melhoria tem como pré-condição a exclusão dos pobres.
Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 2.5 Brazil License.